quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

A ELITE POLÍTICA E AS REFORMAS ESTRUTURAIS



Quando olhamos a elite política do Brasil de hoje, e comparamos com a dos anos 50, temos a dimensão do nosso problema, para fazer as reformas estruturais de que o Brasil precisa.
Nos anos 50, a elite política era composta de: Getúlio Vargas; Juscelino Kubitschek; Carlos Lacerda; Santiago Dantas; Afonso Arino de Melo Franco; Milton Campos; Franco Montoro; Luís Carlos Prestes; Plínio Salgado; Agamenon Magalhães; Etelvino Lins; Tancredo Neves; Oswaldo Aranha; Otávio Mangabeira, Roberto de Oliveira Campos, Aluízio Alves e Djalma Marinho.
Esta elite intelectual e política estava agrupada em três principais partidos: União Democrática Nacional/UDN, Partido Social Democrático/PSD e Partido Trabalhista Brasileiro/PTB.
A Revolução de 1964, feriu de morte a democracia brasileira, quando extinguiu todos os partidos políticos, e criou um bipartidarismo. Na lógica dos generais, era mais fácil manipular o poder com menos partidos.
Infelizmente, a democracia brasileira nunca mais foi a mesma. Hoje, temos trinta e cinco partidos, sendo trinta de aluguel...
Esta reflexão sobre a elite política dos anos 50, vem da necessidade de uma reforma e projeto de longo prazo para o Brasil, e que ainda não foi realizado.
Mas como realizar esse sonho? Com: José Sarney; Lula da Silva; José Dirceu; José Genuíno; Romero Jucá; Henrique Alves; Sérgio Cabral; Michel Temer; Moreira Franco; Robson Farias; Raimundo Padilha; Aécio Neves; Renan Calheiros, Eduardo Cunha e Fernando Collor de Melo?
Para reformar o País, além de uma elite política de alto nível, precisamos de uma visão de mundo mais pragmática e menos ideológica, pois só assim poderemos fugir do populismo político que arrasou a América Latina.
Eis os países que deram certo na Europa do pós-guerra: Na Alemanha, com Konrad Adenauer; na França, General Charles de Gaulle; na Inglaterra, Winston Churchill - exemplo até hoje, com sua vitória contra os nazistas.
Outros exemplos são: a Coréia do Sul e o Japão, com destaque para a China, país subdesenvolvido e faminto em 1949, quando Mao-Tse-Tung assumiu o poder, sendo hoje, a segunda potência do mundo, graças às reformas realizadas por Deng Xiao-Ping, que fez as quatro modernizações, em 1980.
Para não entrar em outras considerações, vejam este exemplo emblemático: Em 1972, o PIB do Brasil era um pouco superior ao da China. Eis, hoje, a situação dos dois países em termos do PIB: China - 11,2 trilhões; Brasil - 1,796 trilhões, dados de 2016.
Agora, que o mundo entra na economia digital, onde predominam: a inteligência artificial; a pesquisa pura e aplicada; a inovação; a produtividade; o planejamento e a gestão, o Brasil precisa acordar para não ficar para trás, como está ocorrendo hoje.
Precisamos desmentir o sociólogo Francês/Belga Claude Lévi Strauss, que disse:
- O Brasil vai sair da barbárie para a decadência, sem conhecer a civilização!
Givaldo Soares
Cidadão Brasileiro - Cirurgião Dentista

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Turma Sambaqui-Jubileu de Ouro e Homenagem à Dra. Marluce


JUBILEU  DE  OURO:   1967   /   2017

TURMA  SAMBAQUI  (OU BELÉM-BRASÍLIA)


A Odontologia é uma profissão nobre. Não é fácil exercê-la!

Ela se afastou da Medicina, tornando-se independente.

Como toda especialidade medica, ela considera o homem na sua totalidade.

O Cirurgião Dentista é responsável pelo sistema mastigatório, que participa de várias funções essenciais à vida.

Mas, como disse o poeta Paulo Mendes Campos:
O homem é cabeça, tronco e membros. Só depois vêm as preocupações do espírito.

Portanto, em Medicina e Odontologia, o homem nunca pode ser considerado pela parte e sim, pelo todo.

O sistema mastigatório participa de várias funções inerentes à própria vida, e também às coisas ligadas aos aspectos espirituais e emocionais. O homem é um todo!

A mastigação, fonação, deglutição e respiração mantêm os seres vivos.

Já a expressão facial, o sorriso, o olhar e a linguagem, dizem respeito também à vida de relação e às questões emocionais e espirituais.

Não devemos esquecer a dor, a tristeza, a alegria e o sorriso, que o homem usa para conquistar e se relacionar com o outro.

A expressão facial é, talvez, o lado mais expressivo do ser humano. Por isso, o rosto é a expressão da alma!

Como a arte, que também imita a vida, tudo isso representado pelo sorriso de Monalisa, de Leonardo da Vinci.  

Comemoramos o Jubileu de Ouro de nossa formatura!

Não devemos esquecer os nossos mestres que, no passado, dedicaram suas respectivas vidas à nossa profissão.

Não devemos esquecer Manuel Cavalcante de Melo, primeiro Dentista a exercer a profissão no Rio Grande do Norte, em 1901.

Solon de Miranda Galvão e Clidenor Lago, pioneiros da atividade odontológica em Natal, em 1910; Dr. Francisco Ramalho, pernambucano de São José do Egito. 

Foi um dos fundadores da Associação Odontológica do RN e seu primeiro Presidente, em 27/09/1930.

Agradecemos a Luís Soares de Araújo, Professor Assuense, que lançou a ideia da criação da Faculdade de Odontologia, em 1945.

Devemos lembrar também José Cavalcante de Melo e Alberto Moreira Campos, fundadores da Faculdade de Odontologia, que começou a funcionar em 1949, formou a primeira turma em 1951, com 10 homens e 04 mulheres.

Destaque para o Dr. Fernando Dantas de Resende, que dedicou sua vida à Odontologia; foi Secretário durante 46 anos da Associação Brasileira de Odontologia do RN.

Como esquecer Clemente Galvão Neto, Solon Galvão Filho, Rosalvo Pinheiro Galvão e Joaquim Guilherme? 
A todos os Professores os nossos agradecimentos.

Mas não podemos esquecer também dos nossos colegas que compareceram ao Hotel Parque da Costeira, para um jantar e as comemorações cheias de emoções e saudades.

Todos já envelhecidos e com cabelos brancos, mas com o entusiasmo da juventude, relembrando fatos que ocorreram há 50 anos, provando que a memória é uma das expressões básicas do ser humano. As mulheres todas lindas, como há cinquenta anos.

Um momento não de tristeza, mas de recordação, quando o Padre José Campos, na hora da missa, anunciou o nome daqueles que não puderam comparecer, em virtude de já estarem na presença de Deus.

Como preito de saudade e de respeito à memória deles, citaremos seus nomes:
Cícero Figueiredo de S. Sobrinho; Cleide Miriam de Oliveira; Edvaldo Camilo da Silva; Elzenir Bezerra Peixoto; Gileno Bezerra Feitosa; Joaquim Francisco de Assis; José Augusto da Silva Filho; Marco Aurélio Gonzaga de Souza; Maria Carlos de Araújo; Maria da Salete Batista Teixeira e Raimunda Maria da Silva.

Um agradecimento especial ao fotógrafo Fred Galvão, que com grande profissionalismo, cobriu toda a solenidade com belas fotografias.

Como a festa deixou muitas saudades, é bom lembrar o Poeta Severino Pinto do Monteiro:

Esta palavra saudade

Conheço desde criança.

Saudade de amor ausente

não é saudade é lembrança.

Saudade só é saudade

Quando morre a esperança.

(Givaldo Soares)

HOMENAGEM À DRA. MARIA MARLUCE DE SOUZA

Marluce sempre foi uma figura querida na nossa turma. 
Depois de nossa formatura em 14/12/67, ela sempre se preocupou em reunir o grupo a cada ano, para evitar uma dispersão. 
Assim, chegamos ao Jubileu de Ouro, e ela sempre à frente.
Esta entrevista é uma pequena homenagem à sua grandeza e dedicação.

    1) Como foi sua infância e seus estudos iniciais?
-  A minha infância foi igual a cem mil outras da minha época. Recebi educação de meus pais em casa, junto aos meus 4 irmãos:


Fui sempre muito tímida e sensível. Chorava com facilidade quando algum desejo não era realizado.
Recebi instrução nas escolas: – Externato São Luiz – de Padre Eimar: Curso Primário;  – Colégio Nossa Senhora das Neves: Curso Ginasial;  – Colégio Estadual do Atheneu Norte-Rio-Grandense: Curso Cientifico.

   2) Quando e por que, você fez opção pela Odontologia?
      - Nunca pensei em ser Dentista. Morria de medo deles! Pensava em fazer Medicina ou Pedagogia. Achei que não estava preparada para prestar vestibular, pois acabava de concluir o curso cientifico. Mesmo assim, me inscrevi para Medicina, Farmácia e Odontologia, pois na época podíamos fazer mais de um vestibular. Tive sorte. Passei em 11º lugar em Farmácia, 12º em Odontologia e em Medicina não fui aprovada, por 1 ponto em Física. Para não perder 1 ano, resolvi me matricular em Odontologia, e frequentar um curso pré-vestibular para tentar Medicina no ano seguinte. Com 4 meses de curso de Odontologia, foi que percebi que estava no lugar certo. Desisti de Medicina e optei por Odontologia. Não me arrependi. Sou realizada profissionalmente.

    3)  A participação das mulheres nas entidades de classe é muito pequena e na atividade política também.  No Conselho Regional de Odontologia estão inscritas, hoje, 2.147 mulheres e 1.613 homens. Como você vê a participação feminina nas várias atividades profissionais e políticas?
     - A mulher atual quebrou o tabu de ser feita apenas para o lar. Sem perder a feminilidade, ela participa também da vida pública, e provou que é capaz de exercer profissões e cargos que, há bem pouco, eram privilégio dos homens. Portanto, vejo a presença da mulher, não só no exercício da Odontologia, mas em outras profissões, como uma confirmação do avanço cultural e técnico, e a satisfação de contribuir para o bem da humanidade.

     4) Nossa turma se destacou na política cultural e na participação esportiva. Foi tetra campeã dos jogos olímpicos universitários, em 1966. Fale um pouco desse momento e dos atletas mais destacados.
    - Em 1966, a Odontologia foi tetra campeão dos Jogos Olímpicos Universitários. Inesquecível!  Para a nossa turma foi motivo de muito orgulho, pois 80% dos atletas pertenciam a nossa turma. Citarei algumas modalidades e alguns atletas que se destacaram. Impossível citar todos...
- Atletismo: -  Elzenir e Moacir;
- Basquetebol: -  José Wilson e Ícaro;
- Futebol de Campo (Poeira):  - Givaldo e Guerra;
- Futebol de Salão:  - Múcio (Goleiro);
- Tênis de Mesa: -  Inezinha, Clésia e Glécio;
- Voleibol: -  Gilberto, Licélia, Ediuza e Zélia Martins.

      5) Ao término do curso, onde você exerceu a profissão odontológica? No serviço público, na iniciativa privada ou no magistério?
      - Conclui o Curso de Odontologia em 1967. Em 1968, fui estagiária na Disciplina de Prótese, com o saudoso Professor Rosalvo Galvão, e atendia em meu consultório particular. Em 1974, fui para o Rio de Janeiro, a convite de um colega para atuar em sua Rede de Clínicas Odontológicas, onde permaneci até 1978, quando retornei a Natal para assumir a função de Dentista, na Secretaria Estadual de Saúde Pública, e reassumi o meu consultório. Em 1983, fui convidada para ser Dentista no CLBI – Centro de Lançamento de Foguetes da Barreira do Inferno, até 1987. Na despedida, fui agraciada com uma comenda por bons serviços prestados.
Nas horas que sobravam, estava sempre no meu consultório particular, atendendo aos que me procuravam e acreditavam no meu trabalho.


     6) Seu hobby é viajar.  Quantos países você conheceu, e o que mais lhe impressionou nessas viagens?
        – Por gostar muito de viajar, já conheci muitos países das Américas e Continentes.
  A primeira viagem ao exterior foi para a Europa, em julho de 1988. Não sei quando será a última, pois não paro. A mala está sempre pronta! Costumo voltar aos lugares de que gostei. Europa e Estados Unidos da América, já perdi as contas. Argentina 16 vezes.
 Nas Américas conheci:
 - América do Norte – Canadá, Estados Unidos e México.
-  América Central – Panamá, Caribe – Aruba, Cartagena, Cuba e Curaçao.
-  América do Sul – 7 países
Nos Continentes conheci:
- Europa: Dos quase 50 países, conheci 26. Impossível citar todos...
- Ásia: Dubai, China, Índia, Tailândia e Turquia. É tudo muito lindo!
O que mais me impressionou:  
- Caminhar na Praça da Paz Celestial e na Grande Muralha da China;  

     - Conhecer o Thaj Mahal e o Palácio dos Marajás, na Índia 
- As belezas arquitetônicas, nas estações do Metrô e na Catedral de São Basílio, na Praça Vermelha, em Moscou/ Rússia; 

- Museu Hermitage e Palácio de Verão de Catarina, a Grande, em St. Petersburgo/Rússia;  

- Subir a Acrópole, em Atenas/Grécia; 

- Passar na Porta de Brandenburgo e tocar no Muro de Berlim /Alemanha.
  
    7) Em 14 de dezembro de 1967, concluímos o curso de Odontologia. Em 14/12/17 comemoramos o Jubileu de Ouro, 50 anos de nossa formatura. Como você se sentiu ao organizar esse evento com tanto êxito?
       – Não foi fácil organizar o evento, mas foi gratificante no final. Foram muitos momentos planejando. Tinha as ideias, passava para o meu caderno de anotações e, geralmente, à noite, me comunicava com os colegas, Barreto, Givaldo e Germano para saber o que eles achavam das ideias. 
Geralmente, aprovavam. Barreto sempre dizia: - Vamos bater o martelo! 
Depois de aprovada a programação por vários colegas, em reunião no Nick Buffet, em 26/05/2017, iniciei a pesquisa por: hotel; Padre para celebrar a missa; músicos para animar a festa; fotógrafo etc. etc.
No final, tudo deu certo!! 

Senti-me muito orgulhosa com o êxito do evento e o reconhecimento pelos colegas e familiares. Falhas devem ter acontecido, mas não chegaram a atingir o brilho de nossa festa. Peço desculpas!
Agradeço aos colegas e familiares que acreditaram em mim, comparecendo ao evento.
Aproveito a oportunidade para agradecer a Janete Soares, esposa do colega Givaldo, pelo apoio nas horas que dela necessitei. 


Colaborador da entrevista: Dr. Givaldo Soares

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

ELIAS SOARES: UM JOVEM DE 90 ANOS

Por Givaldo Soares.

Lagoa dos Gatos/PE, era na década de 20, uma cidade pequena e pobre.

Seus filhos eram obrigados a migrar para Caruaru/PE, em busca de oportunidades de estudo e trabalho.

Foi o que ocorreu com a família Soares, onde Antônio e Fernando Soares, foram para Caruaru, em busca de sobrevivência.

Em 1942, em plena guerra, já com 15 anos, Elias deixou sua cidade natal, para morar naquele Município, a convite do seu tio, Antônio Soares.

Seu primeiro emprego foi como balconista, no bairro Vassoural. Logo perdeu o emprego, e foi adotado pela generosidade do seu tio Fernando, que também foi seu tutor, amigo e orientador espiritual. Ensinou a Elias a profissão de sapateiro.

Depois, Elias se transformou num comerciante de médio porte. Chegou à presidência do Central Esporte Clube. Fez uma administração revolucionária, conquistando o campeonato de futebol de Caruaru, em 1958.

Elias foi o responsável pela entrada do Central para disputar o Campeonato Pernambucano de Futebol, na denominada Primeira Divisão.

Deixou a presidência do Central e abraçou a carreira política. Foi eleito vereador em sete mandatos. Tinha espírito público e vontade de servir.

A EUTERPE, banda de música da cidade, foi contemplada com um dos seus projetos na Câmara de Vereadores, que fez a doação do terreno para construção da sede própria, sendo hoje, Elias um dos seus beneméritos.

Elias encontrou uma fórmula de agradecer à cidade que o recebeu com generosidade. A cada rua nova que surgia, sugeria o nome em homenagem a uma figura expressiva da cidade, ampliando assim suas amizades

Hoje, aos 90 anos, Elias está gozando de excelente saúde, e muito feliz ao lado de sua esposa, Maria do Socorro. 

Vivendo de acordo com o Apóstolo São Paulo:

Combateu o bom combate e nunca perdeu a fé!

Você, Elias, é o orgulho da família Soares!

Elias em sua resiência - Caruaru/PE

Os Soares no Jardim Babilônia
Elias, Mª do Socorro, Vilma, Neusa, Givaldo     
Catedral de Lagoa dos Gatos

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

ODONTOLOGIA: PERNAMBUCO E RIO GRANDE DO NORTE

CONTRIBUIÇÃO DE PERNAMBUCO À ODONTOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

Pernambuco teve uma influência fundamental na evolução da Odontologia do Rio Grande do Norte. Um fato pouco conhecido da maioria dos Cirurgiões Dentistas do Estado.

Além do intercâmbio cientifico, que começou na década de 50, entre os dois Estados, Pernambuco abriu suas portas, para receber os jovens Rio-Grandenses, que foram estudar Odontologia na sua Capital.

Tudo isso começou na década de 20, com a presença dos jovens: José Carlos Leite, Péricles Leite, Giuseppe Leite, Carlos Borges de Medeiros, Odilon Garcia, Clemente Galvão Neto, Solon Galvão Filho, Murilo Pinto e muitos outros. Todos concluíram seu curso de Odontologia naquela bela cidade do Recife.

Mas Pernambuco foi muito além. Mandou muito dos seus filhos, atuarem na Odontologia do Rio Grande do Norte, participando assim, de sua história.

O primeiro Cirurgião Dentista pernambucano a chegar ao Rio Grande do Norte, foi o Dr. Francisco Ramalho, que era filho de São José do Egito. 

Chegou nos anos 20 e participou da criação da Associação Odontológica do Rio Grande do Norte, em 27 de setembro de 1930, sendo eleito seu primeiro Presidente.

Outro ilustre Pernambucano que teve grande participação na Odontologia potiguar, foi o Dr. Alberto Moreira Campos, que concluiu seu curso de Odontologia, em Recife, em 1933. Chegou para trabalhar em Caicó, em 1934. 

Logo depois veio para Natal e junto com José Cavalcante de Melo, participaram da fundação da Faculdade de Odontologia do nosso Estado, em 1946/47. 

Porém, a ideia da criação da faculdade partiu do Professor Luís Soares de Araújo, que participou também da criação da Faculdade de Direito e da Policlínica do Alecrim. Grande homem, porém esquecido!

Outro destaque Pernambucano foi Pedro Lopes Cardoso, que veio muito jovem para Natal. Foi Professor da Faculdade de Odontologia e presidente da Associação Brasileira de Odontologia, Secção do Rio Grande do Norte, por três mandato, sendo responsável principal pela construção da velha sede, na rua Felipe Camarão.

Outros Pernambucanos tiveram atuação na clínica privada e no magistério: Uoston Holden da Silva, Aldemir Albuquerque e Nelson João da Silva, o pequeno gigante. Começou como Protético, depois Dentista e Professor.

Ele participou da revolução na Odontologia Portuguesa, junto com Dr. Solon Galvão Filho. A atuação foi tão importante da dupla em Portugal, que o Professor Solon Galvão Filho, recebeu o título de Doutor Honoris Causa, da Universidade de Lisboa.

Outro Pernambucano que brilhou em Natal com sua generosidade, foi Severino Nunes, Protético. Era filho, também, de São José do Egito.
Chegou a Natal em avião Catalina, em 1948. Depois de trabalhar no laboratório Galvão, montou seu próprio laboratório que era um dos melhores do Nordeste. Criou dentro do seu laboratório o que ele chamava a escolinha de “Sagres”, onde ele orientava jovens na arte da Prótese Dentária. Chegou a formar mais de 50 protéticos.

DUAS CURIOSIDADES SOBRE O TEMA:
1) Nelson João Silva, Givaldo Soares da Silva e José Braulino Júnior beberam na mesma fonte. Foram alunos do Dentista Prático Agenor Vieira, em Lagoa dos Gatos/PE, onde deram os primeiros passos no aprendizado da Prótese Dentária laboratorial.

2) O primeiro Lagoagatense a chegar para trabalhar no Rio Grande do Norte, foi o médico Álvaro Viera.  Convidado pelo também médico Januário Cicco, em 1936.

Porém, antes da chegada de Dr. Álvaro a Natal, Lagoa dos Gatos já tinha recebido em seu solo sagrado, o Norte-Rio-Grandense, de Mossoró, Dr. Carlos Borges de Medeiros, Cirurgião Dentista, que exerceu o cargo de Secretário de Saúde da Prefeitura da cidade, em 1933.

ASSIM É PERNAMBUCO, SEMPRE FALANDO PARA O MUNDO!!!

Givaldo Soares





quinta-feira, 12 de outubro de 2017

NOTA DE FALECIMENTO

           RITA MORELLI

Cumprimos o dolorosíssimo dever de comunicar o falecimento, hoje, da querida Esposa do nosso Confrade 
GINO MORELLI, a quem transmitimos nosso fraterno e solidário abraço de condolências, 
com extensão para os respectivos familiares.
Ela foi queridíssima e muito competente Professora da U.F.R.N. - Yoga.

                               A CONFRARIA

terça-feira, 30 de maio de 2017

VIAGEM A PORTUGAL

Este pequeno texto é uma homenagem ao jovem casal Rubens Azevedo e Dona Malu, que voltam a Portugal para uma viagem histórica e sentimental.

Voltar é uma forma de renascer.
Ninguém se perde 
no caminho da volta 
(José Américo)

LISBOA               PORTO 

Portugal está num grande momento!

Fez uma revolução na Educação e criou uma tal de “gerigonça”, que juntou a esquerda e a direita para resolver a crise econômica e política do País.

Achando pouco, o Papa Francisco reconheceu a santidade de dois jovens portugueses e o cantor Salvador Sobral, de apenas 27 anos, ganhou o Festival Eurovisão, com a canção “Amar pelos dois”, composição de sua irmã Eloisa Sobral.

E para a glória da nação lusitana, António Guterres, assumiu a Secretaria Geral da ONU.

Para completar, o jogador Cristiano Ronaldo, natural da Ilha da Madeira, não para de fazer gols, e pode, novamente, ser o melhor do Universo.

E agora, com a chegada do reforço de Rubens e Malu a Portugal, eles vão tomar conta do mundo...

Eu acho é pouco!!!

Espero que o Brasil, se transforme num  imenso Portugal!


Givaldo Soares

sexta-feira, 26 de maio de 2017

A SAGA DA FAMÍLIA ARCOVERDE


A família Arcoverde chegou ao Rio Grande do 

Norte, na década de 40.

Veio de Garanhuns, Estado de Pernambuco.

Era uma época de grandes dificuldades. Em 

plena guerra.


Família com cinco filhos:  quatro mulheres e um 

homem.

O casal Argecílio e Isaura começava uma nova 

vida na bela cidade de Natal.

No DNA da família, a luta, a disciplina e a 

pernambucanidade, tão comum à gente daquele 

rincão do Brasil.

Hoje, o único varão da família chega aos 80 

anos.

Não é uma tarefa fácil, pois, muitos são 

chamados e poucos os escolhidos.

Hoje, navegar é preciso. Mas, é preciso navegar 

como faz o Dr. José Welington. Um marinheiro 

de longo curso, que combate o bom combate 

sem perder a fé, como fez o apóstolo São Paulo.

Neste mundo cada vez mais tecnológico e 

violento, é preciso lembrar e ouvir os poetas, 

humanistas e filósofos.

Como Confúcio, que em seu pequeno texto, faz 

uma reflexão sobre a vida, que aproveito para 

oferecer ao amigo, José Wellington, nos seus 80 

anos de vida.

O Mestre disse:

Aos quinze anos, orientei meu coração para aprender.

Aos trinta, plantei meus pés firmemente no chão.

Aos quarenta, não sofria de perplexidade.

Aos cinquenta, sabia qual eram os preceitos do céu.

Aos sessenta, eu os ouvia com ouvido dócil.

Aos setenta, eu podia seguir as orientações do 

meu próprio coração, pois o que eu desejava 

não mais excedia as fronteiras da justiça.


Givaldo Soares